Lima, Cusco e Machu Picchu

Culinária rica, tesouros arqueológicos, povo cordial que valoriza sua cultura. Assim é o Peru. Não há como não se sentir envolvido pela aura de mistério que domina o lugar, em especial Cusco e Machu Picchu.

Minha experiência neste lugar fantástico e surpreendente começou por Lima. Embarcamos num voô com destino a Lima às 05:55h ansiosos pelo que nos aguardava. Já em Lima, tivemos dificuldade de acessar a internet para chamar um Uber, o que nos fez optar por ir para o hotel de taxi. Como em todo aeroporto há vários na porta oferecendo seus serviços, mas não recomendo… É mais seguro contratar um taxi dentro do aeroporto nos quiosques, o que lhe permite pagar antes de embarcar, inclusive usando o cartão de crédito, se preferir. No caso utilizamos o Taxi Green e ficamos satisfeitos. Confesso que minha primeira impressão quando saí do aeroporto não foi das melhores, o entorno do aeroporto não é bonito, mas não se impressione, esta má impressão não representa em nada a linda cidade de Lima.

Optamos por nos hospedar no centro por uma questão de mobilidade e não nos arrependemos. Ficamos próximos de vários pontos turísticos e museus, e tivemos acesso fácil a outros bairros como Miraflores, San Isidro, Barranco, etc…

A moeda Peruana é o novo sol (nuevo sol ou simplesmente soles). Não compramos a moeda no Brasil, mas pelo que andei pesquisando, é possível encontrar a moeda em casas de Câmbio em grandes cidades como São Paulo, devido ao aumento do interesse dos brasileiros pelo Peru.

Como nosso destino era Lima e Cusco, não nos preocupamos e deixamos para trocar a moeda (reais, levamos poucos dólares) no destino. Não costumo e nem aconselho a fazer isto em outros países, mas no Peru, tanto em Lima como em Cusco, fizemos o câmbio na rua mesmo, com os “trocadores de rua” e posso garantir que é seguro. Você poderá identificar os trocadores facilmente, pois além de usarem um colete identificando eles estarão segurando um maço enorme de dinheiro despreocupadamente, sem se preocuparem em serem roubados.  Aconselho a ir trocando aos poucos, para não terminar a viagem com muitos soles no bolso.

 

CENTRO HISTÓRICO

1º Dia

Devidamente instalados, saímos para explorar as proximidades. O Centro histórico de Lima é belíssimo com sua arquitetura colonial. Depois que a UNESCO o declarou Patrimônio da Humanidade, iniciou-se um processo de restauração no final da década de 90 tornando-se um dos lugares mais bonitos da América do Sul. São muitos museus para se visitar. Reserve pelo menos um dia para visitar alguns.

Plaza Mayor

A partir da Plaza Mayor (também conhecida como Plaza de Armas), onde está localizado o marco zero da cidade (local a partir do qual a cidade foi fundada), você terá acesso aos inúmeros atrativos que a cidade oferece. É neste lugar que está localizado o Palácio do Governo, o Palácio Municipal e a Basílica Catedral de Lima (construída em 1622, período colonial em que Lima funcionava como a capital do Vice Reinado do Peru, uma divisão administrativa da Espanha, na América do Sul e concluída em 1797).  Inclusive é desta praça que sai o ônibus de dois andares que faz um city tour por Lima. Passeio que fizemos e que recomendo para o primeiro dia na cidade a fim de conhecer todos os pontos turísticos e “sentir” a cidade, e voltar depois para conhecer com mais tempo os locais mais interessantes e que gostaria de conhecer melhor. Contratamos o serviço em um quiosque por 12 soles por pessoa e fizemos um passeio de uma tarde (voltamos à noite) por Lima, com guia.

Dica: o melhor lugar no ônibus é a parte de cima, de onde se tem uma visão ampla da cidade. O Peru é o país mais afetado pela radiação solar, o que é explicado, entre outros fatores, pela proximidade do país da zona equatorial, onde a radiação ultravioleta (UV) atinge o território de forma perpendicular, segundo um estudo do neozelandês Richard Mackenzie. Boné/chapéu, óculos de sol e protetor solar são imprescindíveis. Fomos em abril e apesar do calor durante o dia, à noite esfria e é necessário um agasalho.

IMG_20180410_110800268

Plaza de Armas

SAN ISIDRO

2º Dia

Neste segundo dia fomos visitar os lugares que queríamos conhecer melhor. Nosso primeiro destino foi o Sítio Arqueológico Huaca Pucllana em Miraflores.

Atravessamos o Parque El Olivar em San Isidro. Trata-se de um parque repleto de oliveiras, muito limpo, tranquilo e agradável. Estivemos por ali na hora do almoço e vimos que o local é bastante frequentado pela população que trabalha na região. Hora em que aproveitam para descansar.

San Isidro está para Lima como a região da Av. Paulista está para São Paulo. É o centro financeiro, onde estão os edifícios empresariais. Neste bairro está situado o Museo de Sitio Huallamarca – Av. Nicolás de Ribera, 201. Não visitamos este museu, mas pelo que fiquei sabendo apesar de ser interessante, não é comparável à grandeza de Huaca Pucllana em Miraflores.

MIRAFLORES

Nosso primeiro destino em Miraflores foi o Museo de Sitio Huaca Pucllana. Chegamos, compramos os ingressos para a visita guiada e aguardamos um pouco até que se formasse um grupo. Dois grupos foram formados, sendo um com guia falando inglês e outro em espanhol.

Este sítio arqueológico, tornou-se uma das principais atrações turísticas de Lima ocupando uma área de 150 mil metros quadrados, mas pesquisadores acreditam que essa área era no mínimo 6 vezes maior. A visita tem a duração de 45 minutos que é uma verdadeira aula sobre como os habitantes incas fizeram uso do local. Adorei a visita e super recomendo.

Museo de Sitio Huaca Pucllana – General Borgoño cuadra 8 s/nº, Miraflores

IMG_20180411_121659510

Sítio Arqueológico Huaca Pucllana

IMG_20180411_131116552

Dali, seguimos caminhando até o Parque Kennedy. Como todos os outros parques que vimos em Lima este é muito limpo, florido e cuidado. Uma curiosidade deste parque é que ele é habitado por aproximadamente cem gatos. São muitos gatos circulando e pelo que pesquisei, são muito bem tratados pela população.

Em todo Parque Kennedy é possível acessar internet wifi gratuita, sendo necessário apenas um rápido cadastro para se conectar. Se estiver na cidade no final de semana, a dica é uma divertida aula de salsa que acontece na rua próxima.

Continuamos caminhando apreciando a paisagem até chegarmos ao Parque Del Amor. O parque é uma atração à parte que com certeza quem visita Lima não pode deixar de conhecer. Situado no alto das falésias, o visitante tem uma vista privilegiada da costa de Lima. Aprecie a vista e deixe-se envolver pela bela paisagem. Se possível visite o parque mais para o final da tarde e você será presenteado com um maravilhoso e concorrido por do sol que juntamente com a  famosa escultura “O beijo de autoria do artista peruano Victor Delfin, seus bancos decorados com mosaicos coloridos com frases românticas, além é claro da bela vista, fazem da praça um local muito agradável para se passar algumas horas, casais ou não…

IMG_20180411_143152794_HDR

Plaza del Amor

Através do Parque del Amor, você terá acesso ao Larcomar Shopping que fica logo abaixo. O shopping possui uma variedade de lojas, inclusive grandes marcas. Este shopping difere do que estamos acostumados, creio que por quase não chover em Lima, suas dependências (escadas rolantes, poltronas, etc…) ficam à céu aberto. Se for daqueles que gostam de um passeio no shopping, vale uma visita e depois ficar para jantar. Há várias opções, de fast foods à restaurantes que oferecem o melhor da gastronomia Peruana. Porém vale lembrar que próximo dali está o restaurante Rosa Náutica como uma opção, que apesar de não ter conhecido, ouvi relatos de que a comida é boa, porém nada excepcional, e os preços um pouco altos.

IMG_20180411_141659272

Shopping Larcomar

Depois que saímos do parque, voltamos caminhando e explorando caminhos pelos quais não havíamos passado e fomos descobrindo lugares muito bonitos de Lima. Mais adiante passamos por algumas lojas de souvenirs onde aproveitei para fazer umas comprinhas e pegamos o ônibus de volta ao centro encerrando nossa estada em Lima, já que no dia seguinte seguimos para Cusco.

IMG_20180411_142751084_HDR

Infelizmente não visitamos, porém aconselho àqueles que dispuserem de mais tempo, não deixarem de conhecer o bairro de Barranco que fica à minutos dali, inclusive de onde se tem acesso à parte da orla cuja praia é coberta de areia e com uma boa infra estrutura como aluguel de cadeiras e guarda sol, barzinhos, local para refeição e estacionamento.

Outro lugar que não conhecemos e que gostaria de ter visitado é o Parque das Águas.  O parque deve ser visitado à noite, pois é quando acontece os shows de água e luzes. O show acontece a cada hora e dura cerca 20 minutos. È cobrada uma entrada ao parque.

CUSCO

3º Dia

No dia seguinte, de taxi seguimos para o aeroporto de Lima, de onde embarcamos para Cusco. Desembarcamos no final da tarde, conseguimos um taxi sem problemas e seguimos para o hotel, uma pousada muito agradável, cuja localização nos agradou, pois apesar de não estar no centro, nos deixou perto de tudo, bastando para isso alguns minutos de caminhada.

Fizemos o check-in, nos agasalhamos (faz bastante frio em Cusco) e seguimos para jantar e explorar um pouco a cidade.

4º Dia

Dia seguinte, após uma boa noite de sono (ainda não tinha sentido os efeitos da altitude) e um bom café da manhã, seguimos para explorar a cidade.

Plaza de Armas

Centro Administrativo, religioso e cultural da capital imperial, com a conquista Espanhola foi transformado em uma praça pelos novos governantes que construíram templos católicos e mansões sobre as ruínas dos antigos palácios incas.  Atualmente é o núcleo central da cidade de Cusco, onde há restaurantes, joalherias, agências de viagem. E onde está também dois dos monumentos mais importantes da cidade: Catedral de Cusco e Igreja da Companhia de Jesus. Na área central da praça há uma estátua em homenagem a Pachacutec, considerado o fundador do império inca e um de seus mais importantes governantes.

IMG_20180413_092533996_HDR

Plaza de Armas

Da Plaza de Armas, seguimos sem destino definido caminhando para fora do perímetro turístico e percorremos ruas estreitas, subimos escadarias, caminhamos por ruas de comércio, inclusive algumas destinadas exclusivamente ao comércio de frutas, onde pudemos encontrar uma grande variedade delas, visitamos o Mercado de San Pedro, enfim exploramos o máximo que pudemos com o tempo que dispúnhamos.

IMG_20180413_151910455

Mercado de San Pedro

Mirante de San Blas e Mirante do Cristo Branco

Não deixe de conhecer estes dois mirantes, ou pelo menos um deles… Destes pontos se tem uma vista panorâmica da cidade de Cusco.

IMG_20180413_111142817

Vista do Mirante de San Pedro

MACHU PICCHU

5º Dia

Madrugamos, pois nosso trem sairia às 08:29h de Ollantaytambo, tomamos o café da manhã e (informamos ao hotel que faríamos o passeio e eles providenciaram nosso café da manhã mais cedo) seguimos de taxi até Wanchaq (combinamos com o motorista na noite anterior). Normalmente o ônibus sai diretamente de Cusco, porém na época em que viajamos, por algum motivo, este trajeto estava temporariamente desativado, fazendo com que tivéssemos que nos deslocar até Wanchaq para embarcar (o ônibus está incluso no bilhete do trem). A outra opção é pegar o trem na estação de Poroy. A estação de Poroy fica cerca de uns 25 minutos do centro de Cusco.

O onibus que nos levou era bastante confortável e fizemos uma viagem tranquila. Muito movimentada, Ollantaytambo surpreende pela quantidade de turistas do mundo todo que você encontra por lá. Embarcamos no trem, rumo à Águas Calientes, também conhecida como Machu Pichu Pueblo, uma pequena cidade que cresceu às margens do Rio Urubamba e que fica a apenas 6km do Parque Arqueológico Nacional de Machu Picchu, aos pés da montanha sagrada.

IMG_20180414_073213252

Trem da empresa PeruRail

A viagem é uma atração à parte, o trem atravessa o belo Vale Sagrado dos Incas ao longo das margens do rio Urubamba até Águas Calientes. O percurso de 30.5 km. é feito em pouco menos de 2 horas de viagem.

O local de onde saem os micro ônibus (capacidade para 20 pessoas), rumo às montanhas fica a 2 min. da estação final do trem. Os ônibus partem a cada 10 minutos rumo à porta de entrada da cidade Inca e o percurso dura 30 min. aproximadamente. Das 5 às 7:00h da manhã formam-se longas filas de espera,  pois muitos turistas querem ser os primeiros a entrar. Pode-se chegar às ruinas também por uma trilha de escadas, porém vale ressaltar que o trajeto não é tão fácil como possa parecer, uma vez que os degraus são altos e íngremes. Alguns optam por subir de ônibus e descer pela trilha, porém é bom que se saiba que os degraus são altos…

DCIM107GOPRO

Povoado de Águas Calientes

Uma opção interessante é pernoitar em Águas Calientes e subir a montanha logo pela manhã antes do primeiro trem chegar, e assistir ao nascer do sol com o local mais vazio. Ouvi relatos de quem teve esta experiência que é maravilhoso e imagino que seja mesmo…

Compramos ainda no Brasil os bilhetes para o trem pelo site da Peru Rail, as entradas para Machu Picchu foram adquiridas na Municipalidad de Cusco [Av. El Sol, 185], evite comprar na entrada do sítio, pois correrá o risco de enfrentar filas e/ou ingressos esgotados.

Existem 4 tipos de ingressos: Machu Picchu, Machu Picchu + Huayna Picchu, Machu Picchu + Montanha e Machu Picchu + Museu. Para informações sobre cada um deles, clique aqui.

Para visitar apenas Machu Pichu, você deverá optar entre os turnos da manhã (6 às 12:00h) ou turno da tarde (12:00 às 17:30h). Há apenas 2.500 bilhetes disponíveis para cada um dos turnos por dia. Pode-se permanecer durante 4 horas a partir da hora de entrada, portanto chegue o mais próximo possível do início do turno de sua escolha.

Logo na entrada, próximo à catraca você poderá, se quiser, contratar os serviços de um guia para acompanhá-lo na visita (privativos ou em grupo). São guias cadastrados e registrados, inclusive identificados com colete e crachá. Tudo muito organizado.

IMG_20180414_151506006_HDR

A visão que se tem assim que se entra é indescritível…é maravilhoso e vale cada centavo e esforço para chegar até lá… Não tenha pressa, explore cada cantinho. Cada um tem o seu modo próprio, porém no nosso caso, subimos até o topo assim que chegamos e fomos descendo (há um sentido único que deve ser respeitado).

IMG_20180414_151510468

Saímos do local ao final da tarde em direção à Ollantaytambo, onde embarcamos no último trem de volta para Cusco.

Há apenas duas empresas de trem que fazem o trajeto até Machu Pichu: Peru Rail ou Inca Rail. É aconselhável fazer a reserva do trem assim que efetuar a compra da entrada à Machu Pichu, pois para ambos há muita procura.

Peru Rail é a empresa mais antiga, autorizada a operar a rota de Machu Picchu, possui diferentes serviços, entre eles o Expedition, que foi o que utilizamos.  www.perurail.com 

Inca Rail é uma empresa peruana que oferece serviços de transporte ferroviário de Ollantaytambo a Machu Picchu.  www.incarail.com

Quanto aos ingressos, você pode comprar diretamente no site do Ministério da Cultura Peruano (http://www.machupicchu.gob.pe/), ou através de agências de viagem.

6º Dia

De volta a Cusco, reservamos o dia para fazermos o passeio aos quatro sítios arqueológicos: Saqsayhuaman, Q´engo, Puka Pukara e Tambomachay. Contratamos o tour em uma agência na Plaza de Armas, com uma guia falando em espanhol. Nos juntamos ao grupo, e de ônibus turístico visitamos os quatro sítios arqueológicos, um por um, enquanto recebíamos as explicações da guia sobre cada um deles. O passeio se encerrou, no começo da noite e fomos deixados na Plaza de Armas, onde jantamos e demos um último passeio noturno pela cidade.

IMG_20180415_162519331

Sítio Arqueológico Saqsayhuaman

7º Dia

Dia de retornar ao Brasil. Após o café da manhã fizemos as malas sem pressa, fizemos o check out e seguimos de taxi para o aeroporto. Chegamos ao aeroporto com bastante antecedência, mas conseguimos despachar a bagagem, ficando livres para explorar o entorno em busca de um lugar para almoçar. Escolhemos um lugar e pedimos um desayuno (desayuno é café da manhã, que no Peru equivale à uma refeição como um almoço, por exemplo). Primeiramente nos serviram uma sopinha, a seguir lentilha, arroz, filé de peixe frito, salada, suco de mamão com laranja e ao final uma xícara de chá, tudo por 8 soles por pessoa. Ah! e a comida estava deliciosa…

Não deixe de experimentar a Chicha Morada (bebida preparada a partir do milho roxo), o Pisco Sour e o ceviche. A Chicha é servida em todos os restaurantes de Lima, pelo menos em todos em que estivesmos. Eles trazem uma jarra para a mesa.

Alimentados, voltamos ao aeroporto onde embarcamos rumo a Lima, e na sequência São Paulo, deixando para trás um país encantador com um povo muito simpático, cordial e hospitaleiro.

 

Deixe uma resposta